Concurso revela melhor Queima do Alho na Festa do Peão de Barretos

0 145

Uma das regras é utilizar a mesma receita dos peões boiadeiros que desbravaram o Brasil. Concurso oficial acontece no dia 29 de agosto dentro da programação da Festa do Peão de Barretos

Não pode gourmetizar! Não pode inovar! Uma das peculiaridades do Concurso da Queima do Alho da Festa do Peão de Barretos (20 a 30 de agosto) é que os pratos elaborados precisam ser fieis ao estilo, sabor e tradição das comitivas de peões boiadeiros que viajavam pelo Brasil no século passado levando boiadas e desbravando o país. Neste ano, o evento completa 60 anos, assim como o Concurso que é o mais antigo desta comida típica.

A competição acontece entre comitivas – que representam os antigos grupos de tropeiros e peões que viajavam das fazendas criadoras de gado até os frigoríficos e que foram responsáveis pelo desenvolvimento de várias regiões do Brasil, incluindo a região de Barretos – composta somente por homens.

Entre os quesitos de julgamento do concurso está a preservação da receita e o modo de preparo das refeições desta época em que os grupos dormiam nas estradas até chegar a seus destinos. As tralhas carregam objetos simples, mas necessários para alimentar todos: panelas, alguns talheres, pratos, chapa, tudo organizado dentro das \”bruacas\”, uma espécie de mala feita de couro, carregada pelos burros cargueiros e que levavam também os mantimentos.

No cardápio da Queima do Alho estão: arroz carreteiro (arroz, carne seca, pimenta, cebola, alho e sal), feijão tropeiro (feijão, bacon, linguiça de porco, torresmo de panceta, carne seca frita, farinha de mandioca, cheiro verde, alho, cebola e sal), paçoca de carne (charque, farinha de mandioca e farinha e milho) e carne de churrasco (temperada somente com alho e sal). A comida é feita no chamado fogo de chão, um fogão improvisado, bem rente ao chão e aquecido à lenha, um cozimento lento que permite que os ingredientes agreguem sabores uns aos outros, deixando os pratos com um gostinho incomparável.

Vence a comitiva que, além de produzir a refeição mais saborosa, tiver mais utensílios característicos da época e que garantem a manutenção da cultura tropeira.

João Paulo Martins, coordenador do concurso, declara que a Queima do Alho faz parte da história do Brasil e também de Barretos. \”Nossa cidade cresceu no entorno de dois grandes frigoríficos, por isso nossa cultura está tão ligada à cultura sertaneja. Provar esta refeição, feita com tanta riqueza de detalhes culturais, é como experimentar um pedaço da nossa história\”, relata. Os pratos são avaliados por um grupo de jurados que, segundo Sr. João Paulo, são altamente habilitados para este fim.

Este ano o Concurso acontecerá dia 29. Nas outras datas a Queima do Alho está à venda para os turistas no Rancho Ponto de Pouso: dias 22, 23 e 30, no almoço e 21,22,23,28 e 29 no jantar.

Deixe uma resposta