Cristiano detona declaração de Ludmilla e sai em defesa de Bolsonaro

A polêmica começou quando a cantora Ludmilla alfinetou sertanejos que declararam apoio a Jair Bolsonaro (PL) na eleição presidencial

Cristiano, da dupla com Zé Neto, deixou um comentário no perfil do jornalista Leo Dias na última terça-feira (25), sobre a fala de Ludmilla no tapete vermelho do Prêmio Multishow sobre o porquê dela acreditar que os cantores sertanejos se identificam com o candidato à reeleição Jair Bolsonaro (PL) ao invés de Lula (PT).

“Nem eu tenho condições de manter todo mundo bem. Mas quando a coisa aperta, estamos aqui por um bem maior. Dizer que o sertanejo não pensa no povo é uma ofensa”, escreveu Cristiano, alfinetando a cantora Ludmilla.

Sem mencionar nomes, Ludmilla alfinetou sertanejos que declararam apoio a Jair Bolsonaro (PL) na eleição presidencial. Para ela, que é apoiadora de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), os artistas que estão do lado do atual mandatário vivem em “uma realidade completamente diferente”. A fala da funkeira foi feita durante o Prêmio Multishow

“Acho que o sertanejo vive uma realidade completamente diferente. A gente que é do funk, da periferia, está mais chegado ao povo que está precisando de ajuda. O povo foi mais atingido, mais atingido do que a gente pela crise econômica. Eu acho que eles vivem em outra realidade, e a gente está vivendo o que está acontecendo de fato. É ‘L’ no segundo turno”, disparou Ludmilla.

No campo sertanejo, com exclusão dos que optaram pelo silêncio, praticamente todos os nomes declararam voto em Bolsonaro. Os cantores Gusttavo Lima, Fernando, Sorocaba, Leonardo, Chitãozinho, César Menotti, Edson, Hudson, Sérgio Reis, Zezé Di Camargo e vários outros são apenas alguns dos exemplos.

PATROCINADO

Leia também:

Pai de Henrique e Juliano faz doação para companha de Bolsonaro

Na reta final da eleição, os fãs da dupla Henrique e Juliano foram surpreendidos pelo anuncio da doação de R$ 250 mil doados para a campanha de Jair Bolsonaro (PL), candidato à reeleição.

A doação foi feira pelo pai dos cantores Edson Alves dos Reis. Uma doação de R$ 100 mil em agosto, e outra de R$ 150 mil no dia 10 de outubro, dois dias depois de o político ter marcado presença na gravação do DVD dos cantores em Brasília.

O empresário, pai dos sertanejos, é também sócio dos artistas em diversas empresas, inclusive na marca “Henrique e Juliano” e na Fazenda Terra Prometida, com foco na criação de gado.

Assim como o pai, Henrique e Juliano já declararam apoio a Bolsonaro. Os dois, além de estarem presentes no grupo de sertanejos que apoia o presidente, também representam empresários pecuaristas, classe, em sua maioria, apoiadora de Bolsonaro. Segundo o Canal Rural, na Fazenda Terra Prometida, no Tocantins, são criadas mais de 600 cabeças de gado.

A admiração da família dos sertanejos a Bolsonaro é antiga, segundo Edson. “O presidente Bolsonaro está nas nossas orações e nos nossos pensamentos, meus e da minha esposa, antes de ser presidente da República. E, graças a Deus, temos o conhecimento e a amizade dos filhos dele que vai perdurar por muito tempo“, disse Edson em uma entrevista para o jornalista Leo Dias, do “Metrópoles”.