Duplas sertanejas deveriam ser honestas com seus fãs e seguirem o caminho de Simone e Simaria

Simone e Simaria tem muito a ensinar às outras duplas sertanejas (Foto: Reprodução/Internet)
Simone e Simaria tem muito a ensinar às outras duplas sertanejas (Foto: Reprodução/Internet)

O que a separação de Simone e Simaria, tão marcante em 2022, tem para ensinar às outras duplas sertanejas? Simples: honestidade e transparência

Simone e Simaria marcaram a música sertaneja em 2022. De longe as irmãs foram a dupla sertaneja mais comentada, polêmica e especulada deste ano, e, embora ainda estejam envoltas em muitas discussões, mostraram para os fãs a importância da transparência consigo mesmo e com aqueles que tanto os amam.

Nos últimos anos, principalmente em função da pandemia, ficou muito visível a relação desgastada de alguns artistas sertanejos que insistem ainda em manter a aparência e, mesmo que as coisas já não funcionem como antes, mantém suas duplas sertanejas ao trancos e barrancos.

Virou mania quando surge qualquer boato surge sobre separação, eles apenas responderem que se trata de uma “fake news”, termo que se tornou muito comum nos últimos anos. Mas no meio da música sertaneja é comum para desmentir a verdade ou desqualificar a notícia de um ou outro veículo.

Foi assim que aconteceu quando o clima azedou entre Leonardo e Eduardo Costa, quando Victor se separou do Leo, ou então quando meses antes de se cogitar publicamente a separação de Simone e Simaria, o assunto já era muito comentado nos bastidores do mercado.

Aliás, de todos, Simone e Simaria foram as mais honestas possível com os fãs. Anunciaram publicamente o fim da dupla e cada uma seguiu o seu caminho. Simaria para a música pop, Simone para a música sertaneja, e cada uma fazendo o que sabe fazer de melhor, aparente sem mágoas, mas livre do fardo de carregar a responsabilidade uma da outra nas costas.

Falta a honestidade de Simone e Simaria em outras duplas

(Simone e Simaria | Foto: Divulgação)
(Simone e Simaria | Foto: Divulgação)

A honestidade e a transparência que Simone e Simaria não são usadas por outras grandes duplas que, como sabemos, vivem por um fio. Grande exemplo é Zezé Di Camargo e Luciano, que cumpriram a promessa que fizeram ao seu pai de não acabar a dupla enquanto ele estivesse vivo.

Logo após a morte de seu Francisco, cada um seguiu o seu caminho. Zezé com problemas na voz e cantando um tom abaixo, recuperando clássicos da música sertaneja, e Luciano Camargo fazendo a sua verdade dentro da música gospel.

Oficialmente a dupla sertaneja não é mais o foco de ambos, algo que demorou dois anos para Zezé Di Camargo assumir publicamente, já que ele confirmou que não terá mais projetos inéditos ao lado de Luciano. Mas continuam a enganar o público, dizendo que a dupla ainda existe – só que não.

O mesmo clima hostil acontece nos shows da dupla Bruno e Marrone, que vem sendo marcados cada vez mais por polêmicas, bebedeiras e até humilhação em cima dos palcos.

Para quem conhece os cantores, todos sabem que, enquanto Marrone tem uma vida leve e divertida, Bruno se tornou um cara chato e deselegante, que tem o hábito de fazer piadas machistas, homofóbicas e brincadeiras de mal gosto. E constantemente é criticado por isso

Mas não é só Bruno e Marrone que vive de aparência não. E a gente sabe disso.

Mas o mínimo que a gente espera é que as duplas sertanejas tenham respeito pelo seu público e sejam transparentes com quem tanto os admira. Ninguém é obrigado a manter as aparências, nem que isso custe alguns milhões. Quando o artista é honesto com os fãs, como Simone Mendes e Leo Chaves, o público abraça, respeita e acompanha.

Que tal acabarmos com as farsas?

lytics>
Criador e fundador do Movimento Country. Radialista e Publicitário