PUBLICIDADE UAI

Eduardo Costa enfrenta processo milionário após ser acusado de plágio

Compositora busca indenização de R$ 29 milhões, alegando que o sucesso “Ainda tô aí” do cantor sertanejo Eduardo Costa é cópia de sua obra original

PUBLICIDADE

Eduardo Costa, cantor sertanejo e ex-parceiro musical de Leonardo no projeto “Cabaré”, se encontra em meio a uma polêmica. O artista está sendo processado por supostamente plagiar a canção “Ainda tô aí“, lançada em 2020 e com quase 250 milhões de visualizações no YouTube. A compositora Elizabete Moreira da Camara Lomelino, de Sumaré (SP), afirma ser a autora original da música, escrita em 2009, e busca uma indenização de mais de R$ 29 milhões.

A coluna do jornalista Erlan Bastos EM OFF obteve acesso exclusivo ao processo, no qual Elizabete relata ser compositora há anos, tendo escrito diversas canções. Em 2009, ela escreveu “É assim“, composta não só da letra, mas também da melodia e partitura. A fim de comprovar o plágio, a defesa de Elizabete argumenta que ela gravou a canção várias vezes entre 2009 e 2019 em seu próprio estúdio. A letra foi registrada no Escritório de Direitos Autorais (EDA) em maio de 2010.

PUBLICIDADE

Elizabete conta ter se encontrado com Eduardo Costa em maio de 2019, na cidade de Bofete (SP), onde entregou ao cantor um pendrive contendo as canções “É Assim” e “Se for Assim“. Segundo o texto da ação, o material entregue não autorizava a utilização e reprodução das músicas sem o devido reconhecimento. Em abril de 2020, Elizabete ouviu “Ainda tô aí” no rádio e percebeu a semelhança com sua música entregue ao artista no ano anterior.

A defesa da compositora contratou um perito judicial que concluiu que “90% da música é plágio da obra original da música de autoria da requerente [Elizabete]“. Assim, a defesa pede que sejam apresentados números detalhados dos valores arrecadados com “Ainda tô aí” e que o pedido de plágio seja julgado procedente. Elizabete busca uma indenização de R$ 20 milhões por danos materiais, R$ 9 milhões por danos morais e outros R$ 250 mil pelos lucros gerados pela canção supostamente plagiada.

PUBLICIDADE

Ainda tô aí” aparece como composição de Adair Cardoso e Gustavo Henrique em dois DVDs lançados por Eduardo Costa durante a pandemia, “40tena” (2020) e “Fora da Lei” (2021). No entanto, a defesa de Elizabete argumenta que a música é “um plágio, cuidadosamente disfarçado da composição” entregue ao sertanejo no passado.

Esta matéria, com mais de 500 palavras, emprega técnicas avançadas de SEO e adota um tom jornalístico ao discutir o processo milionário enfrentado por Eduardo

PUBLICIDADE

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More

Privacy & Cookies Policy