Com fazenda de R$ 60 milhões, Leonardo recebe R$ 750 mil para show no interior do MT e gera revolta

Entenda a controvérsia sobre o cachê milionário pago ao cantor sertanejo Leonardo para a 13ª Feira Cultural de Gaúcha do Norte e as reações da população

A pequena cidade de Gaúcha do Norte, com uma população de 8.646 habitantes, virou notícia após a contratação do famoso cantor sertanejo Leonardo por um cachê de R$ 750 mil para a 13ª Feira Cultural. O evento, agendado para 1º de junho, promete ser um grande atrativo, mas também levantou uma série de questionamentos e críticas entre os moradores.

Segundo informações do site Voz MT, o valor do cachê destinado ao show do cantor Leonardo tem sido um ponto central de discussão, especialmente por representar uma parcela significativa do orçamento municipal. A população e os observadores questionam a justificativa por trás do investimento considerado elevado, ponderando se os recursos poderiam ser mais bem empregados em outras áreas prioritárias da cidade, como saúde, educação ou infraestrutura.

A administração do prefeito Voney Rodrigues Goulart, do MDB, está sob pressão para fornecer esclarecimentos detalhados sobre a decisão. Os cidadãos buscam entender os critérios usados para alocar uma quantia tão expressiva para um evento cultural, principalmente em um município de pequeno porte. A transparência na gestão dos recursos públicos se tornou um tema recorrente nas conversas entre os habitantes.

A Talismã Administradora de Shows e Editora Musical, empresa responsável pela carreira do cantor Leonardo, também está enfrentando críticas. Surgem questionamentos sobre se o valor acordado para o show está alinhado com os padrões de mercado, principalmente considerando a duração prevista para o show, de apenas uma hora. Muitos se perguntam se há outras contrapartidas ou benefícios envolvidos no contrato que justifiquem tal valor.

Este caso em Gaúcha do Norte traz à tona um debate mais amplo sobre a contratação de artistas para eventos financiados com recursos públicos, que motivou a criação da CPI do Sertanejo há alguns anos. Enquanto tais eventos são vistos como importantes para a promoção cultural e turística, há uma crescente demanda por mais responsabilidade fiscal e justificação adequada dos gastos, especialmente em cidades menores com orçamentos mais limitados.

Leonardo é dono da Fazenda Talismã, de R$ 60 milhões

Com a chegada da fama, e consequentemente do dinheiro, Leonardo comprou o que hoje é a sua maior propriedade: a fazenda Talismã, que está há mais de 20 anos com o cantor e foi nomeada em homenagem ao falecido irmão com um dos maiores sucessos de sua carreira.

Localizada no município de Jussara, em Goiás, a fazenda é uma das propriedades mais buscadas na internet e possui cerca de 1.000 hectares de terra, onde a principal atividade é a criação de cabeças de gado de raça nobre, o que é muito valorizado na região e rende bons lucros em leilões organizados por produtores rurais.

Além de ser um lugar de trabalho e produção de grandes fortunas, a propriedade também serve como uma moradia luxuosa e conta com espaço confortável e grande o suficiente para abrigar a família inteira de Leonardo, que é constituída por 6 filhos.

Segundo portais especializados, a Fazenda Talismã foi comprada por ‘apenas’ R$ 4,6 milhões e hoje está avaliada em mais de R$ 60 milhões. A propriedade possui mais de 5.000 cabeças de gado nobre, sendo uma das que mais produzem na região, atuando em ciclos completos, ou seja, operando desde a cria até a terminação dos animais e venda e leilões.

A propriedade é equipada com:

  • Quadra de vôlei
  • Lago
  • Piscina ampla
  • Área para criação de gado
  • Sala de jogos
  • Espaço para churrasqueira e muito mais.

Veja as fotos da propriedade: