Antes de Bolsonaro, briga entre Leonardo e João Guilherme por pensão virou caso de Justiça

Leonardo e João Guilherme travaram uma grande batalha judicial após o jovem completar 18 anos. O motivo era a pensão alimentícia paga até então

A relação entre Leonardo e João Guilherme vem de turbulências há anos. O astro sertanejo, que foi detonado pelo filho caçula recentemente ao prestar apoio público a Bolsonaro e foi defendido pela esposa Poliana Rocha, que deu lição de moral no enteado, já enfrentou a Justiça para resolver a questão da pensão alimentícia do jovem.

Em seu discurso contra João Guilherme, Poliana Rocha se vangloriou do fato que Leonardo sempre pagou a pensão do filho e “bancou suas viagens”. O assunto gerou muita polêmica e discussões nas redes sociais, tendo em vista que a pensão é um direito do ator, assegurado por lei. E, ao que parece, o cantor sertanejo nem sempre teve essa boa vontade de ajudar o filho, mesmo ostentando um dos maiores cachês da música nacional.

Criado pela mãe Naira Ávila, João Guilherme nunca teve o pai muito presente em sua vida, tanto é que no último Dia dos Pais acabou homenageando seu padrasto. Como cresceu longe, o jovem sempre dependeu de pensão do pai, mas esse direito teve que ser conquistado na Justiça, já que em 2012 a mãe do ator abriu um processo contra a Talismã Administradora de Shows, empresa de Leonardo, para que João recebesse a pensão alimentícia, segundo o Metrópoles.

Na época ele tinha apenas 10 anos, e o processo assegurou seu direito até os 18 anos. No entanto, após chegar à maioridade, Leonardo entrou com um processo na Justiça pedindo a desobrigação do pagamento da pensão do próprio filho. O direito é concedido até os 18 anos, podendo se estender aos 24 caso o filho esteja cursando pré-vestibular, ensino técnico ou superior, e não tiver condições financeiras para arcar com os estudos.

A atitude do cantor sertanejo gerou grande polêmica nas redes sociais, onde fãs passaram a detoná-lo por querer tirar a pensão do próprio filho. Na ocasião, João Guilherme alegou que não tinha condições de se manter sozinho, visto que ainda estudava e fazia cursos extracurriculares. Além disso, mesmo sendo um influenciador, ele relatou não possuir renda fixa desde que deixou o SBT, onde fez algumas novelas. A defesa do jovem alegou que sua renda mensal era de R$ 1 mil.

No entanto, o recurso não teve julgamento pelo Tribunal de Justiça, visto que os dois acabaram fazendo um acordo e acabaram desistindo do processo e arquivaram a ação.

Leia também:

João Guilherme detonou Leonardo por apoio a Bolsonaro

(Foto: Reprodução/Internet)
(Foto: Reprodução/Internet)

João Guilherme, um dos 6 filhos de Leonardo, não gostou nada do apoio do pai ao presidente Jair Bolsonaro, oficializado na tarde desta segunda-feira (17). O jovem usou seu Twitter para fazer várias reclamações da decisão do pai, que acabou dividindo opiniões na internet. Enquanto os amantes da música sertaneja apoiaram sua decisão, boa parte criticou o cantor sertanejo, incluindo o próprio filho, que não teve piedade ao expor sua opinião.

“Hoje to triste. Sei bem e a influência do meu pai, ele é gigante, querido por tantos… Mas joga no time errado e está cego. Diante de todos os últimos escândalos envolvendo o atual mandatário ver alguém tão importante pra mim declarar apoio dessa forma me enoja. É tanta ignorância que nem sei”, começou detonando.

“É como se eu não tivesse minhas duas irmãs mais velhas que já tiveram 14, 15 anos… ou minhas sobrinhas. Como se todas as mortes ligadas ao pouco caso do Governo perante a ciência e a vacinação fossem um só um delírio”, disparou João Guilherme, que é apoiador de Lula.

A opinião do jovem também gerou muita polarização. Enquanto a maioria concordou com seu posicionamento, apoiadores de Bolsonaro usaram da publicação para dizerem que ele foi bancado pelo pai e ostentou sua pensão com viagens e luxo durante sua adolescência. Na verdade, João Guilherme foi criado pela mãe e a pensão é um direito previsto em lei.