Murilo Huff tem chances de estourar sem Marília Mendonça?

Murilo Huff ficou conhecido após a morte de Marília Mendonça, quando sua carreira deu um grande salto; mas será que ele tem potencial para ir mais longe?

Talvez você não tenha ouvido falar de Murilo Huff antes do acidente que vitimou Marília Mendonça, dia 5 de novembro de 2021. Em cenas que chocaram o país inteiro, o pai do seu filho aparecia desolado em seu funeral. Olhos inchados, o sofrimento estampado no rosto, uma mistura de incredulidade com uma dor talvez nunca antes experimentada por aquele jovem que acabara de completar apenas 26 anos.

Depois de todas as especulações acerca do relacionamento de Murilo Huff com Marília Mendonça, depois das entrevistas (ótimas, aliás) que ele deu após sua morte, depois de tudo o que já foi divulgado a respeito, me parece desnecessário relembrar os detalhes dessa história de amor, que começou em 2018 e gerou um fofíssimo fruto, o pequeno Léo, nascido no final de 2019.

Murilo Huff, todavia, não era um aventureiro quando sua vida se cruzou com a de Marília. Ao contrário, já era um compositor estabelecido, escrevendo canções de muita qualidade. Gusttavo Lima, Bruno e Marrone, Maiara e Maraisa e Michel Teló já haviam gravado músicas escritas por ele. “Modão Duído“, de Teló, colocou Murilo no radar dos bons artistas sertanejos. Gente grande queria gravar suas composições.

Não são poucos os casos de artistas que estouraram como compositores antes de se tornar cantores conhecidos. Com a própria Marília Mendonça aconteceu dessa forma. Além dela, Maiara e Maraisa, Matheus Aleixo (da dupla com Kauan), Paula Mattos, Zé Neto e Cristiano e Victor Hugo (dupla de Diego) também trilharam caminho semelhante, apenas para citar alguns. Murilo não é exceção.

Também muitos são os cantores solo e duplas sertanejas que se lançam todos os anos nesse mercado. É uma competição selvagem por espaço, embora o sertanejo seja conhecido pela camaradagem entre os seus pares. Tenho visto na música brasileira em geral vários “artistas” estourando sem apresentar mínima qualidade. Cantores que não sabem cantar direito, que ao vivo em cima do palco não acertam mais do que 3 ou 4 notas. E um tanto de gente com muito talento que não chega muito longe.

Se você acha que eu fiz toda essa contextualização pra dizer que Murilo Huff só teve espaço por causa de Marília Mendonça e que ele não é grande coisa com artista, você errou! O que quero dizer é, justamente, o oposto. O relacionamento com Marília pode ter dado a ele mais visibilidade, a morte dela pode ter empurrado Murilo degraus acima de forma mais rápida (e bem dolorosa, infelizmente). Mas, independente dela, ele é bom! Ele é muito bom!

Conheci Murilo com “Dois Enganados“, composição dele com Danilo Dávila, Gustavo Martins e Walace Melo. Se fechar os olhos, você vai lembrar de Cristiano Araújo, algumas oitavas mais grave. Em vários duetos que Marília gravou (melhor não citar quais), a música pode ser do outro artista, mas só ela brilha na faixa. O outro é coadjuvante. Não era difícil Marília brilhar muito mais que seu entorno.

Em “Dois Enganados” isso não acontece. Murilo manda muito bem, e as duas vozes combinam perfeitamente. O abraço sem jeito do final do videoclipe me faz querer acreditar que ali nascia uma história de amor. Me deixa, eu sou uma romântica incorrigível.

O jovem Murilo tem se portado com extrema elegância após a partida de Marília. Está colhendo os frutos que essa visibilidade indigesta lhe trouxe sem se aproveitar da memória da cantora. Quando fala dela, me parece imbuído de um sentimento muito genuíno.

Murilo vem lotando shows e lançou dois EPs em 2022, com 3 faixas cada, o “Pra Ouvir Tomando Uma 3”, volumes 1 e 2. Ele mantém o estilo doído de cantar que sempre me agradou muito. Minhas faixas preferidas do trio mais recente são “Perigo Pra Sociedade” e “Inconveniente“, composições dele (com parceiros, diga-se). Vale a pena também conhecer os trabalhos anteriores dele. O projeto “Ao Vivão” é ótimo, só com regravações de músicas sertanejas consagradas. Dentre as autorais, menção honrosa para “Gatilho” e “Voz Sem Violão“.

Leia Também:

Quanta responsabilidade esse rapaz precisou assumir tão jovem! Quanto peso precisou carregar, quanta gente duvidando da qualidade do seu trabalho sem parar para ouvi-lo, simplesmente porque ele se envolveu com a maior cantora do país na atualidade, com a rainha absoluta do sertanejo que jamais será esquecida. Quanta força ele demonstrou pra seguir em frente, pra estar presente para Léo, para se erguer das cinzas. Murilo tem luz própria e tem qualidade como artista pra brilhar sozinho. É ótimo cantor, tem um bom repertório. Sai desse turbilhão com muitas cicatrizes, mas maduro e mais forte. Sai artista com A maiúsculo.