Sertanejos temem abertura de “caixa de pandora” após escândalos de cachês milionários

Artistas sertanejos começam a se preocupar com investigações sobre sigilos de 100 anos (Foto: Divulgação)
Artistas sertanejos começam a se preocupar com investigações sobre sigilos de 100 anos (Foto: Divulgação)

Com a quebra do sigilo de 100 anos de Bolsonaro, duplas sertanejas ficam apreensivas com possíveis escândalos envolvendo cachês milionários divulgados pela imprensa no ano passado

O Presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), vem cumprindo com as suas promessas de campanha e realizando gradativamente a quebra do sigilo de 100 anos decretado por Jair Bolsonaro em sua gestão.

Na tarde desta quinta-feira (12), o governo divulgou os gastos milionários do cartão corporativo da presidência da república, onde surgiram compras suspeitas, como a de uma lanchonete onde em um dia, Jair Bolsonaro gastou R$109 mil em apenas um restaurante de Roraima, o suficiente para comprar 659 marmitas e quase três mil lanches com cartão corporativo durante.

As duplas sertanejas e os cantores que apoiaram e subiram no palanque do ex-presidente no ano passado, temem que rastro de corrupção respinguem em sua carreira, tendo em vista a repercussão negativa com escândalo dos cachês milionário explorado exaustivamente para imprensa no ano passado.

Na ocasião vários contratos passaram a ser investigados pelos Tribunais de Contas dos estados, como shows de Gusttavo Lima, Zé Neto e Cristiano, Bruno e Marrone que chegaram a ser proibidos de ser realizado pela justiça.

Com a revelação dos escândalos divulgado pela imprensa nos últimos dias, os artistas sertanejos resolveram mudar seu posicionamento e aqueles que até o ano passado tinham encontros frequentes com Jair Bolsonaro, passaram a amenizar a relação com o ex-presidente. É o caso de Zezé Di Camargo que em recente entrevista ao jornal Folha de São Paulo declarou; “Não sou Bolsonaro e nem ≥≥≥÷Lula.

Mas de acordo com a apuração feita por Hedmilton Rodrigues, do site Movimento Country, alguns artistas teriam sido aconselhados por empresários, gestores de carreira e assessores de imprensa a não se envolver em discussões políticas nas redes sociais e não levar o tema para o palco em 2023.

O cantor sertanejo Gusttavo Lima chegou a expulsar uma fã do seu show, após ela não concordar com seu posicionamento político e puxar o “Hino Nacional” em plena virada do ano em um show que aconteceu durante o Réveillon no Ceará.

Leia também:

Sertanejos já sentem impacto na queda do valor do cachê em 2023

(Zé Neto e Cristiano | Foto: Divulgação)
(Zé Neto e Cristiano | Foto: Divulgação)

Os principais nomes da música sertaneja que encabeçam os maiores cachês da atualidade estão vendo a redução de até 30% no valor pago pelos contratantes para apresentações este ano. Além disso, as prefeituras e governos estaduais que enfrentam problemas no caixa, estão contratando artistas de segundo e terceiro escalão para atender a demanda de feiras agropecuárias estes anos.

Artistas como Hugo e Guilherme, Guilherme e Benutto, Murilo Huff, Ana Castella e Luan Pereira, são alguns dos nomes beneficiados com esta mudança no mercado de shows em 2023.

Artistas grandes e os maiores escritórios de shows do país resolveram investir na realização de festivais, com o objetivo de turbinar o caixa este ano. A exemplo disso Gusttavo Lima ampliou o circuito do Festival “Buteco do Gusttavo Lima”, Luan Santana trabalha em cima do festival “Luan City”, a após várias polêmicas envolvendo o novo formato do show “Cabaré” que substituiu Eduardo Costa por Bruno e Marrone, Leonardo resolveu transformar o show que é uma verdadeira “mina de ouro” em um festival sertanejo.

lytics>
Criador e fundador do Movimento Country. Radialista e Publicitário