Empresário expõe motivo de rompimento com Sorocaba que acabou em multa de R$ 20 milhões: “Por dinheiro”

Paulo Pissoloto, empresário que luta na Justiça pelo recebimento de uma multa de R$ 20 milhões do cantor sertanejo Sorocaba, contou os detalhes do rompimento ao Movimento Country

Nesta semana, o Movimento Country divulgou com exclusividade que o cantor sertanejo Sorocaba foi condenado a pagar uma multa no valor de R$ 20 milhões ao empresário Paulo Pissoloto por quebra de contrato. Os dois estiveram juntos no início da carreira da dupla Fernando e Sorocaba e a parceria foi quebrada repentinamente por decisão do cantor sertanejo, o que moveu uma disputa judicial de anos.

Para o pagamento de uma parte da dívida, a Justiça do Paraná determinou que a renda do show “Isso é Churrasco“, marcado para o mês de março em Londrina (PR), fosse penhorada. O Movimento Country teve uma segunda conversa exclusiva com o empresário Paulo Pissoloto, que deu os detalhes mínimos da quebra de contrato entre ele e Sorocaba:

Por várias vezes o Sorocaba falava que eu era como o pai dele, que a Ângela (esposa de Paulo) era como sua irmã, e então surgiu uma situação muito delicada do câncer de tireoide dele (…) Quando passou essa fase, a gente foi fazer um show (beneficente) para o Hospital de Câncer de Barretos, foi quando ele me causou um espanto ao falar: ‘Bem que esse show poderia ter cachê, né’, e eu falei ‘Como assim cachê? Você acabou de sair de um câncer, a gente está fazendo um show para o hospital do câncer… como você quer que tenha cachê?'”, contou o empresário.

A história ficou naquilo, e eu logo eu cheguei na minha esposa e disse: ‘Se prepara que logo esse contrato vai ser rompido por ele. Alguma coisa já me contava isso’. Ele começou a dar indícios de que alguma coisa estava acontecendo e foi indo, até que chegou no dia do meu aniversário, em  21 de junho de 2009, e ele organizou uma reunião em um hotel, chamou a família dele, chegou e falou assim: ‘Olha, é o seguinte… A partir de hoje a Ângela não trabalha mais comigo, não é minha produtora’, e eu falei ‘Como assim? A Angela é minha esposa, acreditou mais em você do que eu, o que está acontecendo?’, e aí ele disse que não queria mais, virou para o pai dele e disse: ‘Se tem um cara que nunca vai sair do meu projeto é o Paulo‘”.

Quando chegamos no nosso apartamento, eu disse para minha esposa: ‘O próximo sou eu’. E a partir daí, aconteceram algumas coisas estranhas. Passado um tempo, eu cheguei no escritório de manhã e tinha um assistente que trabalhava lá, perguntei sobre a equipe e ele disse que não tinham chegado ainda. Eu estranhei, porque naquele dia não tinha nenhum evento. Recebi o recado que eles queriam falar comigo, liguei e escutei a seguinte frase: ‘A partir de hoje, o escritório fica em São Paulo. Toda a estratégia será feita lá’. Eu disse: ‘Como assim São Paulo? Cadê meu avião? E meu carro?’. Eles me responderam que iam mandar a minha parte do dinheiro para Londrina (onde morava), e os negócios seriam gerenciados em São Paulo“, completou.

E aí eu lembro que o pai dele disse que ‘Contrato de artista era igual casamento, quando não dava certo era só separar, romper e ponto final’. Eu aceitei e pedi para me pagarem a multa contratual, e na época não optaram por isso. Sofri muito, só Deus sabe o que eu passei nesses 12 anos. Eu me recordo de uma passagem que até hoje me emociona muito, foi no nascimento da minha filha que eu não tinha dinheiro pra comprar o berço e o carrinho dela. O que eu tenho pra te falar é que (o rompimento) aconteceu por questões financeiras mesmo, por dinheiro“, desabafa.

Leia Também:

Sorocaba também pressionou o rompimento de Luan Santana com o empresário

(Foto: Reprodução/Instagram)
(Foto: Reprodução/Instagram)

Assim como Sorocaba, Paulo Pissoloto também empresariava Luan Santana, que foi muito ajudado pelo sertanejo no início da carreira. Após o rompimento entre Sorocaba e o empresário, o cantor sertanejo começou um movimento para querer tirar Luan do contrato com ele também, e o empresário conta como aconteceu:

“O Amarildo (pai de Luan Santana) me chamou um dia para uma reunião no escritório dele e me disse assim: ‘Paulo, o Sorocaba está fazendo uma pressão muito grande em cima de mim para a gente romper o contrato entre você e o Luan, e eu não estou resistindo’. O Sorocaba induziu o Luan a desfazer o contrato comigo também e nessa situação o Amarildo fez um acordo comigo, parcelou a multa contratual e pagou o parcelamento”, começou.

“E o Amarildo me disse que falou para o Sorocaba pagar a multa também, para parcelar, fazer um acordo… Ele não quis pagar, e eu fui alertando ele do que poderia acontecer, que eu poderia fazer (entrar com um processo judicial) e R$ 2 milhões se transformaram em praticamente R$ 20 milhões hoje. É isso que aconteceu, e eu sempre fui alertando porque eu não queria muito, só que fosse feita a justiça. Eu trabalhei tanto, dediquei tanto, viajava deixando os filhos em casa para poder conseguir fazer o que aconteceu na vida dele (Sorocaba) e cheguei a uma situação absurda de não ter nem o sustento próprio”, desabafou.

“A gente hoje está tentando de toda forma fazer esse acerto para que ele pague o que é devido, só que infelizmente caiu em uma situação difícil. Até o rompimento com o Luan foi por influência dele”, encerra o produtor.