Início Notícias Sertanejas Sem voz e sem dupla, Zezé Di Camargo caminha para um fim...

Sem voz e sem dupla, Zezé Di Camargo caminha para um fim melancólico

Sem voz e sem dupla, Zezé Di Camargo trilha um fim melancólico (Foto: Rafael Salman)
Sem voz e sem dupla, Zezé Di Camargo trilha um fim melancólico (Foto: Rafael Salman)

Enfrentando problemas nas cordas vocais, Zezé Di Camargo viu sua carreira ir do estrelato às ruínas com polêmicas e escândalos ao longo dos anos

Não há nada o que se possa contestar quando o assunto é a grandeza e a importância da dupla sertaneja Zezé Di Camargo e Luciano para toda uma geração. Os irmãos, nascidos em Pirenópolis, retrataram a sua trajetória no filme “2 Filhos de Francisco”, um dos grandes marcos do cinema nacional.

O filme tive a direção de Breno Silveira, que inclusive chegou a ser pré-indicado ao Oscar. Vocês conseguem imaginar o que teria sido para o cinema brasileiro o primeiro Oscar de uma produção do país sendo conquistado por uma dupla sertaneja?

Sucessos? A dupla conquistou os montes. De “É o Amor” até “Você Vai Ver”, não existe um brasileiro em sã consciência que não conhece pelo menos um grande hit desta dupla Goiânia. Inclusive, por quase duas décadas ininterruptas, muito antes da música sertaneja estar inserida no mercado digital, havia uma disputa muito saudável nos bastidores para saber qual artista seria o mais executado nas rádios do Brasil.

Não precisamos evidenciar que, quase sempre, Zezé Di Camargo levavam a melhor, né? Em um mercado com Bruno e Marrone, Leandro e Leonardo, Chitãozinho e Xororó e Milionário e José Rico, ser o nº1 das rádios era raridade.

No entanto, a relação de Zezé Di Camargo e Luciano foi se desgastando e, ao invés da chegada das plataformas de streaming e redes sociais consolidar a dupla, acabou arruinando a imagem dos irmãos, principalmente de Zezé Di Camargo perante o público, já que ele sempre teve uma posição polêmica.

A primeira grande decepção foi a traição de Zezé Di Camargo, que vendeu um verdadeiro conto de fadas no filme “2 Filhos de Francisco” ao lado de Zilu Godoi. Como um homem pode trair uma mulher que sacrificou sua própria vida pelo sucesso do seu marido e ainda declarar publicamente em uma rádio de São Paulo que “mulher feia tem que ser traída”?

Declarações machistas deste tipo e muitas outras que vieram a seguir foram como uma facada no peito dos fãs, principalmente das fãs mulheres. A partir daí, todo desencanto e idolatria passou a derreter e as fãs passaram a ver o príncipe se transformar em um sapo boi em questão de meses.

Aí a vida do cantor sertanejo virou uma grande espetacularização. Como diria o velho ditado: “O castigo vem a cavalo”, ou “O peixe morre pela boca”. Zezé Di Camargo viu sua voz ir embora após uma doença nas cordas vocais, assim como o seu relacionamento, que logo foi ocupado por Graciele Lacerda, sua amante na época e atual esposa.

Há que brinque que na separação de bens Zilu deve ter ficado com a voz do cantor. Será?

Seria o fim da dupla com Luciano uma pá de cal na carreira de Zezé?

(Foto: Renato Pizzutto/Band TV)
(Foto: Renato Pizzutto/Band TV)

Recentemente, depois de muito espernear e negar as notícias que eram publicadas em veículos especializados, inclusive no Movimento Country, Zezé Di Camargo confirmou o fim da dupla com seu irmão, que no que dependesse de Luciano, teria sido encerrado em 2011, no fatídico show que aconteceu no teatro Guaíra em Curitiba.

Mas os irmãos cumpriram a promessa feita ao seu pai, Seu Francisco, e continuaram juntos até sua morte. Após isso, cada um seguiu seu caminho. Luciano segue ao lado da sua família fazendo algo que lhe completa, que é carreira gospel. Já zezé apostou na sua carreira solo, só que esqueceram de contar que além de não ter um bom repertório, ele já não tem mais voz.

Nós últimos shows em que o sertanejo se apresentou ao lado do seu irmão, quem salvou sua pele – ou melhor, salvou o show – foi Luciano Camargo, que segurou a onda e não deixou o seu irmão passar vergonha perante milhares de pessoas que acompanhavam a sua apresentação.

Durante o show “Amigos“, por exemplo, é perceptível a diferença vocal entre Zezé e os demais. É triste ver alguém que não soube cuidar da voz da maneira correta ter um final tão triste, melancólico e solitário.

Como pode um artista da grandeza do cantor sertanejo Zezé Di Camargo se expor desta forma? Será que não existe ninguém do seu lado que possa lhe poupar de vexames, e cuidar melhor da sua projeção? Pelo jeito não. E a gente percebe que sua assessoria prefere aqueles que gostam de puxar o saco do que aqueles que lhe admiram de verdade e querem lhe proteger.

Zezé não precisava terminar assim. Seria isso um carma, um castigo? Não sei, mas dizem que um dia o “tempo cobra a conta”. E o preço foi bem caro para Zezé Di Camargo.

lytics>