Show de Gusttavo Lima é investigado pelo Ministério Público de Roraima

O Ministério Público de Roraima (MPRR) está investigando a prefeitura de São Luiz (RR), por contratar o show de Gusttavo Lima à um valor de R$800 mil reais

O cachê do cantor sertanejo Gusttavo Lima virou motivo de polêmica, após a prefeitura da cidade de São Luiz, em Roraima, com uma população de 8 mil moradores contratar o show por R$800 mil reais.

De acordo com o site G1, o show deve ocorrer de dezembro, na 24ª edição da vaquejada na cidade. Além de Gusttavo Lima, se apresentam na festa a dupla Cesar Menotti e Fabiano e a cantora Solange Almeida. São Luiz tem um PIB de R$ 147,6 milhões, o segundo mais baixo do estado, ficando atrás apenas de Uiramutã.

Em nota enviada ao G1, o prefeito da cidade, James Batista (Solidariedade), disse não brincar com dinheiro público e que “o evento trará receitas diretas para as contas do município que permitirão o pagamento de todas as despesas“. A assessoria de imprensa do cantor sertanejo não retornou aos e-mails do Movimento Country até o fechamento desta matéria.

O MPRR informou que solicitou informações ao município, por meio da Promotoria de São Luiz, sobre como os recursos foram arrecadados e também se haverá retorno para os moradores. O MP não informou quando foi instaurada a investigação, mas disse que a prefeitura recebeu um prazo de dez dias para enviar resposta.

Pai de Gusttavo Lima faz campanha para Bolsonaro

Foto (Reprodução Instagram)
Foto (Reprodução Instagram)

Alcino Lima, pai do cantor sertanejo Gusttavo Lima surgiu no palanque ao lado de Bolsonaro durante um evento em João Pinheiro em Minas Gerais

Gusttavo Lima nunca escondeu sua simpatia pelo presidente Jair Bolsonaro e pelos seus filhos. Inclusive em 2020 divulgou momentos íntimos ao lado da mansão da família no Rio de Janeiro e apareceu ao lado de Jair Renan Bolsonaro, o filho número 4 do presidente.

No entanto seu pai Alcino Lima, surgiu ao lado de Jair Bolsonaro durante um evento político na cidade de João Pinheiro (MG), onde houve a entrega de propriedades rurais para os moradores.

No entanto, após essas manifestações públicas em clima eleitora, o PT pediu ao Ministério Público Federal a investigação sobre uma suposta antecipação da campanha eleitoral e o abuso do poder econômico por Jair Bolsonaro, pré-candidato à reeleição neste ano.

Alheio as polêmicas, o presidente comemorou a presença do pau da celebridade e disparou “É meu colega, véio igual a eu [sic]”. “(…) Canta igual ao filho?“, brincou.

Depois de convidar Alcino a subir no palanque, Bolsonaro pediu que sua equipe acomodasse o pai de Gisttavo Lima na mesma cadeira em que ele estava sentado antes de levantar para discursar.

O cantor tem um histórico de manifestações de apoio a Bolsonaro. Em 2018, por exemplo, durante a corrida eleitoral, o artista compartilhou um vídeo em que aparece fazendo aula de tiros de fuzil.

Na legenda da imagem, postada em suas redes sociais, Lima declarou voto no então deputado federal e candidato a presidente, além de ter criticado Estatuto do Desarmamento. “Hoje em dia no Brasil só está desarmado o cidadão de bem. Revogação do Estatuto do desarmamento já. Nossas famílias e nossas casas protegidas“, escreveu ele.